Rafa Nascimento

O que motiva as pessoas?

Posted in Uncategorized by Rafa Nascimento on 29/08/2012

Esta é uma pergunta cuja resposta vale ouro. E é óbvio que eu não tenho a resposta. Provavelmente, se a tivesse, já estaria cobrando muito caro por minhas palestras e criando diversos materiais sobre o assunto para vender. Em suma, estaria rico! 🙂

Provavelmente, tão cedo alguém terá uma resposta para tal pergunta. Há muito procura-se entender a motivação humana, o assunto está em plena evidência atualmente, e posso apostar que ainda será discutido por muitos e muitos anos. Por que? Porque a motivação humana é tão complexa e particular quanto a individualidade.

O documento Hierarchy of Needs [Maslow] faz a profunda hierarquia de necessidades do ser humano adulto parecer de muito fácil entendimento. Tão fácil quanto um fluxograma. Nele, Maslow descreve a seguinte hierarquia a qual cada um de nós está submetido, e a qual ele denomina necessidades básicas:

  1. Necessidades fisiológicas (comer, beber, sexo, etc.);
  2. Segurança (moradia, visão de futuro, etc.);
  3. Amor (estar em comunidade, sentir-se bem quisto, apaixonar-se, etc.);
  4. Estima (auto-estima, respeito, reconhecimento, conquistas, etc.);
  5. Aperfeiçoamento.

Seria muito simples se as pessoas não oscilassem nesta hierarquia. Mas o ser humano é um sistema complexo, como bem fundamentado em Management 3.0 [Appelo]. Há algumas influências nesta oscilação: o momento pessoal ou profissional no qual a pessoa encontra-se, sua personalidade, sua experiência de vida, seu humor. Manter as pessoas motivadas é tão complexo que nem nós mesmos, em nossa própria individualidade, conseguimos nos manter 100% motivados e, consequentemente, felizes. Costumo defender que, em parte, é da insatisfação humana que brotam a inovação e a evolução.

Ainda há os defensores da motivação extrínsica (dinheiro) ou da motivação intrínseca (reconhecimento e autonomia). Mais uma vez, defendo que a eficácia de cada uma depende do momento pelo qual uma pessoa está passando. Um membro da minha equipe pode estar passando por sérias dificuldades financeiras. Portanto, compreender a realidade e fazer o possível (não o impossível) para fazê-lo mais feliz pode gerar bons frutos. Da mesma forma, membros do meu time podem não sentir-se tão autônomos diante da resolução de problemas. Mais uma vez, é preciso enxergar a realidade e agir em prol da satisfação dos mesmos, dentro das minhas restrições.

Não existe o Santo Graal da motivação. Nem sempre é possível manter sua equipe 100% motivada, e a consequência disso é a partida dos membros insatisfeitos, o que, apesar de ser natural, não nos libera para fazermos vista-grossa para os problemas de gestão. A motivação, seja extrínseca ou intrínseca, determina um padrão que, uma vez inferior ao de costume, gera um grau de insatisfação. É da natureza humana ser insatisfeito. Diante dessa realidade, é muito importante observar o ambiente a nossa volta e tentar melhorá-lo em prol das pessoas que voluntariam-se todos os dias para nos ajudar a atingir objetivos. Agradecê-las todos os dias pelos seus esforços com o melhor dos nossos próprios esforços. Em contrapartida, é preciso ter discernimento o suficiente para compreender que não somos a luz no fim do túnel para as pessoas, apesar de as querermos satisfeitas todos os dias, e que, cedo ou tarde, elas vão querer estar em um lugar que julgam melhor para elas naquele momento ou aproveitar uma oportunidade que julgam indispensável.

Portanto, a gestão deve adaptar-se ao sistema o tempo todo, mantendo um ambiente agradável para quem chega e para que se mantém conosco.

Anúncios
Tagged with:
%d blogueiros gostam disto: